CONTATO

PARA CONHECER OU COMPRAR MEU LIVRO, "EXÉRCITO NA SEGURANÇA PÚBLICA", ACESSE:
http://www.jurua.com.br/shop_item.asp?id=22065

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

VALORIZAÇÃO POLICIAL: UM DEVER DE TODOS OS CIDADÃOS BRASILEIROS!


Nas sociedades organizadas, politicamente, através de leis, o papel da polícia é representar o Estado na ocupação dos espaços para regular conduta ou evitar qualquer fato ameaçador à ordem social. No Brasil, a polícia tem como atribuição constitucional garantir a ordem pública e a incolumidade das pessoas e patrimônios.

A polícia foi criada no Brasil com a chegada da Família Real, em 1808, e sua atribuição se resumia a desenvolver um trabalho de repressão criminal contra determinados seguimentos da sociedade – escravos, pretos livres e “vadios” – que violavam as regras de comportamento estabelecidas pela elite política que criou a polícia e dirigia a sua ação. A polícia, na grande parte da sua história, prestou serviços às classes dominantes economicamente, a governos e a regimes políticos. Entretanto, nos tempos atuais, o Brasil vem se consolidando como um Estado Democrático de Direito, onde não cabe espaço para clientelismo (uso da força pública em proveito privado), nem políticas ocasionais, ou seja, as ações policiais tendem a beneficiar toda a população, sem qualquer tipo de discriminação.

Com a consolidação do Estado Democrático de Direito, surge novos anseios por parte das pessoas para com os policiais. Trago à baila um pensamento que realmente traduz a realidade sobre as expectativas que os cidadãos têm do policial. Segundo August Vollmer:

“O cidadão espera do policial que ele tenha sabedoria de Salomão, a coragem de Davi, a força de Sansão, a paciência de Jó e a autoridade de Moises, a bondade de um bom samaritano, o saber estratégico de Alexandre, a fé de Daniel, a diplomacia de Licon e a tolerância do carpinteiro de Nazaré e, enfim, um conhecimento profundo das ciências naturais, biológicas e sociais. Se ele tivesse tudo isso pode ser que seja um bom policial”.

Hoje é o primeiro dia do Ano 2010, milhões de brasileiros ainda estão em clima de festa. Todas as capitais brasileiras tiveram festas públicas. Avenida Paulista reuniu dois milhões e quinhentas mil pessoas; a praia de Copacabana quase dois milhões de pessoas; o Farol da Barra, em Salvador, ultrapassou o número de quinhentas mil pessoas reunidas, fora as demais capitais e interiores. Entretanto, estas festas só foram possíveis porque milhares de Pais e Mães afastaram-se do seio familiar em pleno Reveillon, envergando suas fardas, para garantir a segurança e tranqüilidade de milhões de cidadãos e famílias brasileiras. Quantas pessoas lembraram de desejar Feliz Ano Novo ao policial que estava próximo para garantir a Paz e o divertimento delas?

A profissão policial é a que mais afeta a qualidade de vida das pessoas, porém os policiais não são reconhecidos pela grandeza das suas ações porque eles contrariam e limitam vontades alheias, como prender as pessoas que dirigem após consumir bebidas alcoólicas, apreender o carro que está com o documento vencido, revistar pessoas para prevenir delitos (ninguém gosta de ser revistado, pois mais educada que seja a abordagem), não deixar que os torcedores desrespeitem a fila na compra de ingressos para a partida de futebol, entre outros exemplos. Por mais que seja compreensível a ação policial, as pessoas, que têm contato direto com a polícia no exercício da atividade preventiva, esquecem que os policiais estão cumprindo com o dever de manter a ordem pública. Elas nutrem sentimentos de aversão à polícia e condenam as ações policiais, ainda que estas sejam para o bem da sociedade.

Tramita no Congresso Nacional um Projeto de Emenda Constitucional (PEC-300) que visa melhorar o salário dos policias. O valor do salário é uma retribuição aos serviços prestados, e o seu aumento é uma forma de reconhecer o valor do profissional. Entretanto, no Brasil, o salário do policial não corresponde, nem de longe, a percepção de merecimento da atividade policial. O policial além de manter a ordem pública e preservar a segurança das pessoas e do patrimônio, constantemente, no seu dia a dia, exerce as seguintes funções: parteiro, quando faz o parto da grávida que não chega a tempo na maternidade; assistente social, quando informar ao familiar da vítima o óbito, ou outras funções relatadas por um ex-policial que trago ao texto: borracheiro e mecânico, quando socorre idosos e deficientes com pneus furados; pedreiro, ao participar de mutirões para reconstruir casas destruídas por enchentes; paramédico fracassado, AO VER UM COLEGA IR A ÓBITO A BORDO DA VIATURA; juiz da vara cível, apaziguando ânimos de maridos e mulheres exaltados, que após a raiva uniam-se novamente e voltavam-se contra a POLÍCIA; juiz de pequenas causas, quando, NA FOLGA, alguns vizinhos procuram para resolver SEUS problemas; guardião de mortos por horas a fio, sob o sol, a chuva e a neblina, à espera do RABECÃO”; dentre outras funções, como advogado e psicólogo.

A existência do trabalho policial influencia na vida de cada cidadão brasileiro. Quem ousaria sair de sua casa sabendo que a polícia não está trabalhando? O reconhecimento e o salário têm que ser proporcional à importância da profissão. A profissão policial exige o "IMPOSTO DO SANGUE", pois o policial tem obrigação de arriscar a sua vida, muitas vezes perdendo-a, para preservar a vida do cidadão. Quanto mais motivado estiver o policial, melhor será o serviço prestado à sociedade brasileira; por isso, a valorização policial não é um dever só dos estados, mas de todos os cidadãos brasileiros. Faça a sua parte!


9 comentários:

  1. Muito Obrigado, é difícil vê alguém falando a verdade sobre a polícia. Gostei muito do artigo.
    Sd PMBA

    ResponderExcluir
  2. NECI CAETANO GUIMARÃES5 de janeiro de 2010 04:51

    Excelente reflexão,A Valorização da Policia é de extrema importância já que 2º Aurelio; POLICIA é conjunto de Leis ou regras impostas aos Cidadãos visando a moral a ordem e a Segurança Pública. Esta função é própria do polícial na sua aplicação, porém cabe a todos conhecer as Leis e ser útil a sus fins ajudando que mais pessoas se interessem pela Profissão POLICIAL! profissão que exige o "IMPOSTO DE VIDAS".Se conhecer-mos as leis poderemos ajudar na redução da impunidade,tráfico,mortalidade, corrupção,etc.fazendo da Denuncia nossa arma, do Policial nosso instrumento de investigação.Valozizando essa profissão que infelizmente é muito descriminada em nosso Páis devido os baixos salários.Mas a quem interessa essa Valorização???????

    ResponderExcluir
  3. muito bom !


    Mas nem sempre e assim , os policiais colhem na grande maioria o que platam, sempre arrogantes, prepotentes, e demostrando abuso de autoridade, imagine vc desejando um feliz ano novo e derrepente receber um ADIANTE SEU LADO,ou um E O QUE? QUAL FOI? Vc foi desejar UM FELIIZ ANO NOVO E ELE LHE ENGUADRAR E COMEÇAR A TE REVISTAR, sabe porque digo isso? porque já vi muitos casos de vc chegar com uma voz mansa e humilde pedir informação, ou perguntar qualquer coisa e ser mal atendido, caso mais recente foi da moça de são paulo que a policia não deu aminima para a familia que foi denunciar a suspeita de ter seuqestrado a mesma poucos dias depois ela foi encontrada morta toda esfaqueada e com um vela de ritual satanico dentro de sua boca, a midia televisionada procurou a delegacia e o DELEGADO ARROGANTE NEM SABIA RESPONDER O OCORRIDO REFERENTE A NEQLIGENCIA DOS SEUS SUBORDINADOS. iai? será que somos tão errados assim ou e o efeito espelho? refletimos o que eles são? eu possuo carro rebaixado, quando sou parado em blit´s eles já vem com arrogancia! CARRO REBAIXADO DE PLAYBOY, COLOCA A BOTINA ENTRE OS PNEUS E A CAIXA DE RODA, E AFIRMA QUE NÃO ENTRA NEM A BUTINA DELES E SE NÃO TIVER LEGALIZADO PODE BOTAR LÁ NO PATIO,graças a Deus hoje sou legalizado mas já passei casos de ter que desenbolsar R$ 20.00 para me liver de uma multa mais severa, de certo que estava errado, mais essa não seria a melhor forma deles me concientizar que estava errado e sim de mostrar o quanto eles podem ser corrupitos, OS CAMINHONEIROS ENTÃO SÃO UNS COITADOS DE TANTO QUE SÃO LEZADO POR AMEAÇAS DE MULTAS SE NÃO DER PROPRINA,ATE MESMO QUANDO VC ETSÁ TODO CORRETO ELES VAI LÁ NO FUNDO DO CARRO QUEBRA O LACRE DE SUA PLACA E TE AMEAÇA COM MULTAS IAI? vc chega em uma delegacia de policia para prestar qeui simples de perda de documento e o policial já pergunta com aquela voz que te entimida, "DIGA CIDADÂO!" não sai um bom dia! se vc tem um carro roubado como ocorreu na minha familia o premeiro a encontrar e depenar e a POLICIA, o carro foi encontrado segundo o B.O do policial militar intacto,mas quando o carro foi entregue pela civil foi cobrado um "taxa de serviço" de R$1.000,00 pelo empenho deles que stava em persequição e encontrou o carro, que na verdade o pm foi quem achou. iai? somos nós os errados? e se o policial quer ter uma vida como relatado.

    "sabedoria de Salomão, a coragem de Davi, a força de Sansão, a paciência de Jó e a autoridade de Moises, a bondade de um bom samaritano, o saber estratégico de Alexandre, a fé de Daniel, a diplomacia de Licon e a tolerância do carpinteiro de Nazaré"

    os propios policias corrupitos e ignorantes dão um jeitinho de mudar o carater desse policial ou então já sabe né?

    acho que a PM a CIVIL deve ler e muito esse blogger, pois qui nós podemos opinar ser sofrer represarias.

    agora mediante o que relatei já encontrei policiais bons, educados ,gentil,dedicado mais infelismente são a menoria, infelizmente.


    um forte abarço!

    ResponderExcluir
  4. Sinceramente Capitão,não sei de que cidadãos o senhor está falando...Como no post anterior concordo que nem todos os policiais são mal-carater,mas no meio de 100 vc tira dez que ainda sofre represálias dos "colegas"por não fazer igual.
    Acho que a policia militar não mudou nada em seu formato de pensar e atuar, continua a servir a uma elite branca e que de preferencia o humilhe perguntando " se ele sabe com quem está falando".Não fui a Barra ,mas garanto que toda a frustação de estarem trabalhando foi descarregada em alguns garotos pretos lá presente...

    Feliz ano novo só acontecerá entre a sociedade civil negra e a pm,no dia que a nossa cor da pele não for critério de ser marginal.... e isto ainda vai longe.
    Para vc que sei ou aparenta ser diferente FELIZ ANO NOVO...

    ResponderExcluir
  5. Que bom ver que alguém tem a sensibilidade de ressaltar com riqueza de detalhes a nossa árdua missão de ser policial militar. Como integrante da corporação sei a dor e a delicia de ser PM. Analiso com tristeza alguns comentários aqui postados de cidadãos que foram maltratados ao abordar um policial até para pedir uma informação, sei que isso ocorre e por muitas vezes tive problemas com colegas por não aceitar comportamentos desse tipo.

    Feliz Ano Novo a todos!!!

    ResponderExcluir
  6. A sociedade em geral vive na ignorancia de si mesmo e como animais se deixam levar por instintos
    A defesa é o principal, e como qlqr animais com medo atacam, agridem ...
    O policial precisa valorizar-se em primeiro lugar, ser bem treinado pr inclusive Suportar uma violencia aq é submetido e compreender tal violencia dificil PR é a alma d qlqr ser humano.Necessario mudanças se faz uma evolução moral de uma sociedade inteira, pr se fazer em um padrão negativo Gerados pela ignorancia. Ñ so o conhecimento gera poder mais o auto-conhecimento gera o poder unico
    q um ser humano pode ter q é o poder de dircernir e caminhar pela vida em paz, se Reconhecendo como um reflexo do outro e do mundo em q vive.
    Estejamos sempre em Deus!

    Selena Caló

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo texto amigo!
    Washington Lima.

    ResponderExcluir
  8. Como policial militar, fui psicóloga, quando um colega discutia com a esposa, diante da incompreensão dela, às vezes, com a profissão do marido.
    Como policial militar, fui assistente social, quando tinha de confortar a mãe de alguma vítima assassinada por não possuir algo de valor que o assaltante pudesse levar.
    Como policial militar, fui pedreira, ao participar de mutirões para reconstruir casas destruídas por enchentes.
    Como policial militar, fui paramédico fracassado, ao ver um colega ir a óbito a bordo da viatura.
    Como policial militar, fui paramédico realizado, ao retirar uma espinha de peixe da garganta de uma criança.
    Como policial militar, fui apedrejada por estudantes da mesma escola na qual estudei e fui professor, por pessoas do mesmo grêmio do qual participei.
    Como policial militar, fui obrigado a me tornar gladiadora em estadios repletos de terroristas que são membros de torcidas organizadas, em jogos de times pelos quais nem torço.
    Como policial militar, sobrevivi graves acidentes com viaturas, nunca a menos de 120km/h, na ânsia de chegar rápido àquela residência onde a moça estava sendo estuprada ou na qual um idoso estava sendo espancado.
    Como policial militar, fui juiza da vara cível, apaziguando ânimos de maridos e mulheres exaltados, que após a raiva uniam-se novamente e voltavam-se contra a polícia.
    Como policial militar, fui atropelada numa blitz por um desses cidadãos que, por medo da polícia, afundou o pé no acelerador e passou por cima de vários colegas.
    Como policial militar, arrisquei-me a contrair vários tipos de doenças, ao banhar-me com o sangue de vítimas às quais não conhecia, mas que tinha obrigação de tentar salvar.
    Como policial militar, arrisquei contaminar toda a minha família com os mesmos tipos de doenças, pois, ao chegar em casa, meus filhos a me abraçar, nunca se importando com o cheiro de sangue alheio, nem com as manchas que tinha de lavar do uniforme.
    Como policial militar, fui juiza de pequenas causas, quando, em minha folga, alguns vizinhos me procuravam para resolver seus problemas.
    Como policial militar, fui advogada, separando, na hora da prisão, os verdadeiros delinquentes dos "laranjas", quando poderia tê-los posto no mesmo "barco".
    Como policial militar, fui a mulher que quase perdeu a razão, ao flagrar um pai estuprando uma filha, enquanto a mãe o defendia.
    Como policial militar, fui guardião de mortos por horas a fio, sob o sol, a chuva e a neblina, à espera do rabecão, que, já lotado, encontrava dificuldade para galgar uma duna mais alta, ou para penetrar numa mata mais densa.
    Como policial militar, fiquei revoltado ao necessitar de um leito para minha esposa parir e, ao chegar ao hospital da polícia, deparar-me com um traficante sendo operado por um médico particular.
    Como policial militar, fui xingada, agredida, discriminada, vaiada, humilhada, espancada, rejeitada, incompreendida.
    Na hora do bônus, esquecido; na hora do ônus, convocado.O governador diz que ganho muito pra função que exerço...
    Tive de tomar, em frações de segundo, decisões que os julgadores, no conforto de seus gabinetes, tiveram meses para analisar e julgar.
    E mesmo hoje, calejada, ainda me deparo com coisas que me surpreendem, pois afinal ainda sou humano.
    Não queria passar pelo que passei, mas fui voluntária, ninguém me laçou e me enfiou dentro de uma farda, né!?
    Observando-se por essa ótica, é fácil ser dito por quem está "de fora" que minha opinião não importa, ou que, simplesmente, não existe.
    Amo o que faço e o faço porque amo.
    Tanto que insisto em levar essa vida, e mesmo estando atualmente em outra esfera do serviço policial, sei que terei de passar por tudo de novo, a qualquer hora, em qualquer dia e em qualquer lugar.
    E o farei sem reclamar, nem recuar, porque se o senhor não guarda a cidade, em vão vigia a sentinela!
    Por isso é que fazemos nossa parte: Vigilantis sempre!
    Que deus abençoe a todos nós!!!

    ResponderExcluir
  9. Muito boa leitura! o RACISMO é acima de tudo ama questão que não cansamos de debater, mas que precisamos e devemos combater.
    O racismo, a falta de postura das autoridades para com o referido assunto e ainda mais, a permissividade de grande parte de nós NEGROS!
    Somos responsáveis sim pelo nosso amanhã! Então, vamos buscar nossa força, vamos lutar, vamos tomar nossos direitos com garra!

    SOU SUA FÃ CAPITÃO!

    SULA

    ResponderExcluir